Como ser mais produtivo no home-office

O setor de trabalho home office (veja fotos de home offices inspiradores) está cada vez maior. Pesquisas mostram que, há 10 anos, trabalhar em casa estava limitado a pessoas que trabalhavam como profissionais liberais, funcionários que necessitavam terminar suas funções em casa ou por pessoas que tinham como pressuposto a ideia de que trabalhar em casa era mais produtivo pela questão de concentração, criatividade e organização.

No entanto, o panorama mudou e hoje as empresas que oferecem vagas home office estimam que haja aproximadamente 3,5 milhões de brasileiros que trabalham em casa, seja em período parcial ou integral. Em outras palavras, isto significa que o segmento de trabalhar em casa passou por uma profissionalização importante – e assim também deve se portar a pessoa que escolhe trabalhar desta forma.

Portanto, a primeira situação que o trabalhador home office precisa visualizar é que ele não pode perder tempo somente pelo fato de estar em casa. Neste caso, a residência deixa de ser um lar para ser um escritório. É interessante deixar um local específico para se trabalhar e decorá-lo de forma que lembre um escritório de empresa. Assim, é mais fácil manter o foco e a concentração, dois itens fundamentais para quem quer viver do home office.

Isto também significa saber separar a vida pessoal da profissional. Num mesmo espaço, o trabalhador home office deixa de ser um morador para ser um funcionário ou empreendedor. Deve-se manter sempre esta ideia em mente, sob pena de não conseguir “dar conta do recado” e acabar sofrendo prejuízos.

Um local separado ajuda a produzir melhor.

Depois de achar um cantinho apropriado, é necessário delimitar as horas de trabalho. Quem trabalha no sistema home office sempre tem metas para serem alcançadas em determinados prazos. No entanto, é comum que o funcionário acabe optando por fazer tudo da última hora, achando que conseguirá terminar a tempo. Isso até pode ser verdade e tudo dar certo, mas, como não há cobrança, é fundamental gerenciar as tarefas a serem realizadas, classificando-as como urgentes, importantes e secundárias (leia 3 dicas matadoras para fazer to-do lists). Esta questão passa também pela administração do tempo e saber reservar horas para lazer e momentos para o trabalho. Para conseguir fazer todas as tarefas no tempo estipulado, usar post its, anotações, agenda e, principalmente, aparelhos eletrônicos (como um tablet, computador ou smartphone), é uma boa pedida.

Acostume-se a, sempre que estiver trabalhando, a desligar coisas que atrapalhem o seu trabalho, como televisão, música, e-mail, redes sociais, telefone e até a geladeira (para quem é mais guloso). Se não conseguir se controlar e ficar o tempo todo conferindo o que está acontecendo, determine-se a deixar tudo fora do alcance por um tempo – determinar-se a desligar o e-mail, por exemplo, e só conferir quando fizer metade ou todo o projeto pode fazer o trabalho ficar mais rápido, inclusive.

Por último, deve-se entender que, apesar de não ter um chefe o tempo todo cobrando, a própria pessoa que trabalha no sistema home office é seu próprio chefe. Além da parte das cobranças que faz a si mesmo, o funcionário tem a possibilidade de terminar as suas funções mais cedo, passear a qualquer horário, ir a cinemas na melhor sessão, ler para descansar, tirar um sono após o almoço, etc. Portanto, tudo pode ser feito, desde que se tenha responsabilidade. A ideia é não se tornar um workaholic e saber o momento de parar e relaxar.

E você, tem experiência com home-office? Compartilhe ela no And After com um post ou pelos comentários!

Back to Top