Revolução? Para a elite...

Marco Gomes foi quem geriu o nascimento da boo-box e admiro por isso e pelo espírito altamente pró ativo que ele tem, visto nas idéias que ele coloca em ação na boo-box e fora dela.

Algum tempo atrás o Marco escreveu um texto sobre a “revolução digital”, um texto altamente romântico e bonito, porém, ao meu ver, utópico demais. Este texto foi republicado à poucos dias no webinsider, onde li novamente e vi alguns comentários com idéias interessantes,  uns tapas de realidade a algumas colocações do texto.

Concordo que existe sim uma grande mudança na forma no digital, porém acredito que ela não é tão “óóó” como alguns acreditam. Mudanças aconteceram quando o celular se tornou barato, quando Tim Berners Lee “deu a luz” a internet, quando o Google conseguiu indexar o mundo. As mudanças estão acontecendo e continuarão acontecendo, assim como a televisão e a telefonia móvel invadiram a vida de milhares de pessoas, tornando-se populares e baratas, acredito sim que isso acontecerá com computadores e internet. Isso ainda não aconteceu, não, não...

 Revolução Farroupilha

Revolução Faroupilha

 

Hoje o usuário tem mais poder, blogs pipocam a cada segundo, grupos de amigos se criam, eles podem reclamar, de se comunicar, se relacionar, conhecer pessoas e opiniões diferentes das suas. Isso é maravilhoso, isso tem potencial cultural, isso é ótimo!

Mas isso está inacessível para muita gente. Para quem é do meio, passa o dia inteiro na internet, navegando, tem acesso a luz elétrica, computadores e internet é fácil Twittar:

@danielcosta

 O que é internet mesmo?? Nego pagando conta em caixa eletronico de shopping!!! #pqp

Mas quem não faz idéia do que é o Twitter e o que conhece de internet é o que vê na Globo (pedofilia, crimes digitais, roubo de bancos, perfis de vítimas mortas em crimes violentos do brasil, etc.) pagar uma conta pela internet é uma coisa inimaginável.

Abra o olho para as pesquisas realizadas pelo CETIC:

 

A1 - PROPORÇÃO DE DOMICÍLIOS COM COMPUTADOR
Percentual sobre o total de domicílios1
 
Percentual (%)    Sim       Não   
TOTAL 24 76

 

C2 - PROPORÇÃO DE INDIVÍDUOS QUE ACESSARAM A INTERNET - ÚLTIMO ACESSO
Percentual sobre o total da população1
 
Percentual (%) Há menos de 
3 meses
Nos últimos 
12 meses
Há mais de 
12 meses
Nunca acessou
a internet
TOTAL 34 38 3 59
REGIÕES DO PAÍS
SUDESTE 37 41 2 57
NORDESTE 28 31 2 67
SUL 37 42 4 54
NORTE 28 31 1 68
CENTRO-OESTE 38 42 3 55

 CETIC (2007)

Eu achei que os números eram mais animadores, mas são reais, o oba-oba é para poucos. Você é previlegiado, você faz parte de uma elite, de uma minoria.

Quantas pessoas tem o conhecimento que você tem de fazer da internet algo produtivo? A popularização vai acontecer, mas vejo-a como algo muito próxima a televisão (não quero comparar a tv com internet, mas sim a forma de uso). Qual o IBOPE do Big Brother Brasil  e qual o do Telecurso?

De que adianta a popularização de um tipo de mídia se a única coisa que esta popularização faz é bitolar e imbecilizar seus usuários? Existem variáveis (tempo, mais conteúdo gratuito, controle do usuário...) que podem auxiliar a internet ser melhor utilizada que a televisão, mas navego no Orkut e me pergunto: será?

A “revolução” não pode se limitar a somente permitir que o João, a Maria e o Zé publiquem suas fotos (em ensaios fotográficos sensuais) no Orkut. A revolução, sendo ainda mais utópico que o Marco, tem que permitir que estas pessoas que estão vivendo e construindo o “novo digital” saibam escrever, interpretar, buscar informações, aprender, se auto-educar.

A internet permite isso tudo, mas isso não depende somente de “guerrilheiros”. A mudança bottom-up tem que ocorrer sim, por mim, por você, pelos educadores. Porém isso depende de educação, de cultura. Depende de cima, de governo, de investimentos, de  empresas, de interessados em pessoas que pensem. E eu sei, você sabe, e o nosso presidente dá aula disso: é mais fácil agradar e vender idéias a pessoas que “não pensam”.

 Constantine - hel

 O mundo precisa começar denovo.
Alguém por favor, dê o reset.

Back to Top