Pesquisa em buscador - Tudo começa na sua cabeça

Search Engine Optimization - ou SEO - tem mexido com a cabeça de desenvolvedores (e clientes) que querem ter seus conteúdos rapidamente e facilmente indexados por ferramentas de busca.

Já começo falando que não entendo muito (ou quase nada) sobre como fazer essas coisas, e me familiarizei com o termo graças aos dias do Guilherme programando o And After, falando de tableless, W3C e sei-lá-mais-o-que. Lendo um pouco mais, entendi o que ele queria dizer em ter o código mais limpo, buscas mais rápidas etc.

Mas, antes disso, antes de desenvolvedores pensarem nas suas programações loucas e tableless e tudo mais que faça o sr. Google (Yahoo! etc.) deixar seu site entre os primeiros em determinadas buscas, a busca em si começa no 'client-side'... explicando: a busca começa na cabeça de quem vai pesquisar, na forma como essa pessoa irá pesquisar.

Esse texto vai parecer um tanto quanto óbvio, mas me peguei pensando no assunto esses dias... alguém se lembra de como fazia pesquisas no Google, Altavista, Meta Miner ou qualquer uma dessas ferramentas logo que começou a usar internet?

buscadoresSe queria procurar como fazer um bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro, de certo os termos usados para a busca eram como fazer um bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro?. Claro que a busca retornaria um número pequeno de sites, já que essa é uma busca bem específica, e em sites de receita é bem provável que o texto (ou receita) não tenha essa frase, e sim simplesmente bolo de chocolate com cobertira de brigadeiro. A idéia era "tenho uma dúvida, coloco uma pergunta e ele me trará as resposas". Pelo menos era assim que eu pensava e achava que funcionava, mesmo inconscientemente.

Com o tempo, fomos aprendendo que para ter resultados melhores, poderiamos apenas usar algumas palavras chave como bolo chocolate cobertura brigadeiro. Pronto! Qualquer site que fosse falar de um bolo com esses ingredientes seria trazido na busca.

Para ajudar ainda mais nas buscas, vale dar uma lida no texto Explore melhor as buscas do Google.

Daí já podemos partir para o conceito da folksonomia, as idéias das tags (como no del.icio.us e technorati), labels (como no Gmail ) e tantas outras formas de classificar conteúdos que temos hoje em dia... mas esse é assunto para um outro post ...

Quem sabe já não explicando como seria a falada WEB 3.0 que já encanta, assombra e causa tanto tumulto por aí! Enfim, essa foi apenas uma reflexão de como fomos nos adaptando aos poucos e nos acostumando com certas coisas que a internet trouxe ; )

Back to Top