Bê a Bá do Design

Vamos as apresentações que podem dar (ou tirar) credibilidade a este texto. Sou acadêmico do Bacharelado em Design pela ULBRA Carazinho e trabalho com internet desde 2004. Atualmente trabalho como freelancer e mantenho o And After e o Mas Que Loucura. Meu portfólio é este aqui.

Antes de começar, peço para que ninguém aceite tudo que está escrito aqui como verdade absoluta, existem divergências entre autores renomados e não sou eu que vou resolver isso. Está aí resultado de três anos e meio de faculdade, livros devorados, sites futricados e opinião pessoal.

Feita as apresentações, vamos a um dos fatos que mais me incomoda: diferenciar o design do designer. Esse, na minha humilde opinião, é o erro mais comum entre os micreiros.

Designer
É o profissional que trabalha com qualquer tipo de design: gráfico, digital, de produto.

Design
É área de atuação do profissional. O designer trabalha com design.

Fazendo uma analogia: design é como se fosse agronomia, designer o agrônomo.

Bom, sabendo isso você já pode pedir ajuda em comunidades de design no orkut sem ser apedrejado por todos. Já tentei participar de comunidades que debatem (ou deveriam debater) sobre design e não achei nada eficiente. Os assuntos se perdem e o orkut é só uma rede social mesmo, usar profissionalmente é complicado (e considerado careta por muitos). As comunidades também acabam criando confusão, briga de egos e tudo mais, eu recomendo para quem quer buscar informações sobre a profissão procurar blogs relacionados ou sites especializados. E se for procurar uma comunidade, procure uma comunidade séria.

 

Freelancer
O designer que não trabalha em nenhuma empresa, que não tem emprego fixo é chamado de freelancer. Ou de desempregado.
É o profissional autônomo, que trabalha diretamente com o cliente. O Freelancer não precisa trabalhar sozinho, pode se unir com outro(s) designers para determinado projeto. Normalmente conseguem oferecer projetos com preços menores do que escritórios de design, devido ao seu custo ser baixo. Muitos freelancers trabalham em casa, o que dificulta em algumas vezes dar credibilidade ao profissional. Para isso é recomendado a todos (inclusive quem não trabalha como freelancer) montar um portfolio muito bem apresentado.

 

Micreiro
Todo aquele que pensa operar software é o suficiente para ser designer. Usa (e abusa) do empirismo, fazendo seus clientes de cobaias de suas criações assustadoras.

 

Portfolio
É o conjunto de projetos executados por determinado profissional. Pode ser um vídeo, um site, pranchetas, folhas, uma pasta, vale tudo. Principalmente a criatividade. O portfolio é mais importante que o currículo nessa profissão. É a prova do que você é capaz de produzir e serve de referência para seus futuros clientes ou empregadores.

 

Briefing
Pode ser resumido como o conjunto de informações recolhidas antes da realização de um projeto. Existem diversas formas de fazer um briefing, pode ser uma sequência de perguntas, uma conversa, acompanhar o trabalho do cliente, etc.
O briefing serve para integrar o designer com a empresa do cliente, que é essencial para o desenvolvimento de qualquer projeto. Permite conhecer o perfil do público alvo do cliente, buscando melhores resultados. Através de briefing é possível a localização de problemas a serem resolvidos, permitindo a melhor execução e planejamento do projeto a ser feito.

 

Tipografia
Antigamente tipo eram blocos, normalmente de ferro, com uma letra em relevo em um dos lados. Esses blocos eram utilizados para fazer impressões (jornais, pôsters, etc). Tipografia é a forma como é "desenhada" uma fonte (letras e acentos).

 

Marca

[Update em 17/08/07]

Em um feedback a este texto, a Mônica complementou e corrigiu o que eu havia escrito antes e agora repasso aqui para vocês o meu entendimento de marca.


É mais do que a representação simbólica de uma entidade (evento, empresa, pessoa, etc). Segundo a própia Mônica, marca é TUDO o que está intrínseco quando se pensa em um nome. Pensou no Ronaldinho, pensou na Nike. Mais ou menos isso. Não, marca não é só um garoto propaganda.

A Marca bem projetada permite a identificação rápida, um sinal de presença. Pode ser representada por um símbolo, um ícone, um logotipo ou mais de um dos elementos juntos.

Logomarca não existe.

Para muitas empresas a marca é o bem mais valioso que existe, valendo mais do que todo o patrimônio físico da empresa. O que mostra a importância da marca, que pode ser considerada a identificação da empresa perante seus consumidores. Marca são os valores, cultura, visão e objetivo de uma empresa.

Segundo Kotler:

Uma marca é essencialmente uma promessa da empresa de fornecer uma série específica de atibutos, benefícios e serviços aos compradores. Uma marca pode trazer até seis níveis de significados:
1. Atributos
2. Benefícios
3. Valores
4. Cultura
5. Personalidade
6. Usuário

(Obrigado Mônica)

 

Mais uma vez citando a Mônica: Uma Mercedez por exemplo representa alta tecnologia, desempenho e sucesso.

E adiciono a descrição acima, luxo e segurança.

[Fim do Update em 17/08/07]

 

Logotipo
É o elemento da marca que compõem a parte escrita, utilizando uma tipografia única da empresa. O logotipo pode ser considerado a assinatura da empresa. Em grego, logotipo pode ser traduzido como "grafia da palavra".

A marca pode ser composta apenas por um logotipo, exemplo disso é uma das mais valiosas marcas existentes hoje, a Coca-Cola. Outro exemplo conhecido é a Nokia.

 

 

Existe muito mais a ser falado e estudado, e se alguém chegou ao final desse texto deve ter uma louca paixão por design, tendência a trabalhar com isso (se já não trabalha, claro).

Acredito que muito do que foi escrito aí pode ser melhorado e sem dúvida existe muito a ser adicionado também. Então fica a liberdade, quem quiser complementar o texto é só comentar ou fazer o cadastro aqui no And After e publicar uma nova versão melhorando esse pequeno dicionário... ;)

Back to Top